LGPD: entenda o impacto dela no transporte de cargas!

02/10/2020 Imagem destaque

Um novo desafio que surge para os diretores e gestores logísticos é a LGPD. A nova Lei Geral de Proteção de Dados tem feito com que mudanças e adaptações sejam feitas em negócios dos mais diversos segmentos. Mas será que ela também impacta o setor de transporte de cargas?

Já adiantamos que o impacto da LGPD sobre o segmento de transporte de cargas vai depender muito de como a sua empresa realizar determinados procedimentos – e de acordo com isso pode ser mais ou menos desafiador.

E foi pensando nisso que preparamos este conteúdo. É só continuar a leitura, que você vai entender, em detalhes, como essa lei pode impactar os seus negócios e o que fazer para lidar com ela da melhor forma possível!

O que é a LGPD?

Para saber como lidar com a lei, é preciso antes entendê-la! Então, antes de mais nada, saiba que a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (Lei 13.709) foi sancionada em Agosto de 2018.

O objetivo é proteger os dados pessoais obtidos pelas empresas – desde a forma como eles são captados, até a maneira como são armazenados e utilizados.

Para saber mais em um contexto geral sobre a LGPD clique aqui. Agora se o que você quer é ir direto ao ponto e saber a relação da nova lei com o transporte de cargas, confira o próximo tópico.  

LGPD e o transporte de cargas

Sem dúvidas, o segmento logístico deve ficar atento com a LGPD. Inclusive, o setor logístico tem potencial para ser umas das áreas mais afetadas pela mudança. Isso porque, as transportadoras recebem dados das empresas fornecedoras –  informações pessoais de seus clientes, que precisam ser protegidas.

Um exemplo claro da relação do transporte de cargas com a nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais pode ser de uma compra pela internet. Até aí, nada a ver com a transportadora, certo? Sim e não. 

Até esse passo realmente não tem ligação, no entanto, se a transportadora é contratada para fazer a entrega da mercadoria, a empresa logo se conecta as informações do cliente.

Na hora da compra, o cliente cadastrou seus dados pessoais como CPF, nome completo e endereço. Se o pagamento foi feito com cartão, foi informado também o número e o código de verificação dele. Ou seja, as informações financeiras também foram registradas. E então?

As informações são de responsabilidade da empresa fornecedora e devem ser mantidas em sigilo. Mas nesse processo, há a emissão da nota fiscal, que é encaminhada tanto para o cliente como para a transportadora. Logo, a empresa de transporte de cargas também terá acesso aos dados da compra como a descrição dos itens e os dados do comprador. 

Ou seja, quando a transportadora recebe as notas fiscais emitidas pelas empresas, as informações desses clientes ficam armazenados no banco de dados. Por esse motivo, é fundamental escolher um fornecedor logístico de qualidade, que esteja devidamente adequada a LGPD, para manter a segurança em todos os elos da cadeia de suprimentos.

Mas não para por aí, ainda existem mais algumas ações que precisam ser feitas!

O que fazer para se adequar a LGPD?

É muito importante saber quais são os princípios da LGPD e a sua interação com o setor logístico, principalmente sobre como acontece a coleta e repasse de informações. É necessário, de acordo com a Praxio, ter processos claros, como:

  • O propósito para a coleta deve ser legítimo, necessário e comunicado ao titular
  • O tratamento das informações deve ocorrer de acordo com as regras acordadas pelo titular
  • Limite de acesso somente a dados pertinentes a operação a ser realizada
  • O titular tem acesso à forma e a duração do tratamento dos seus dados sempre que requisitado
  • As informações serão atualizadas com o intuito de manter a sua exatidão e clareza
  • Garante ao titular o acesso a informações sobre como cada instituição realiza o tratamento de dados
  • Implementação de medidas de segurança para garantir a proteção contra perda, alterações e acesso indevido
  • Adoção de medidas para a prevenção de dados em decorrência do tratamento dos dados pessoais
  • Impede que os dados coletados sejam processados para fins discriminatórios
  • A instituição que realiza a coleta de dados deve ser capaz de comprovar a sua adequação às normas e eficácia dos sistemas de segurança.

Além disso, o setor logístico, para melhor atender a LGPD pode:

Avaliar empresas e pessoas com quem os dados são compartilhados

Os responsáveis pelo gerenciamento logístico da empresa devem identificar e monitorar as empresas e pessoas que possuem acesso às informações dos sistemas de transporte de cargas, bem como para quem os dados são repassados através de arquivos digitalizados ou relatórios.

Se a logística de cargas da sua empresa é feita por uma transportadora terceirizada, frisamos que ela precisa estar de acordo com as exigências da LGPD, atendendo à legislação e cumprindo com suas obrigações legais.

Mapear o fluxo de dados recebidos

Quem trabalha com transporte de cargas precisa verificar detalhes a respeito dos dados que circulam entre os processos no setor logístico, bem como os que chegam a transportadora, como:

  • Quem os remete?
  • Como são processados?
  • Onde são armazenados?
  • Qual o destino dessas informações após o processo de transporte?

Contar com a tecnologia

Para se adequar a LGPD, é inteligente usar algumas tecnologias a seu favor, como é o caso de um sistema ERP, por exemplo.

Este por sua vez é um software inteligente de gestão empresarial. Com ele é possível coletar e controlar todos os dados dos departamentos de sua empresa e os estruturar em um único ambiente, acessível a todos os colaboradores, de maneira inteligente e, principalmente, segura. 

E então?

Neste conteúdo foi apresentado o impacto da LGPD na área logística e o que fazer para adequar o transporte de cargas à nova Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais. 

Esperamos que o assunto tenha ficado claro, mas caso tenha ficado alguma dúvida ou queira saber mais, entre em contato conosco.

Agora, se você quer ficar por dentro do que é a Logística 4.0 e por que sua empresa deve ficar atenta a ela, confira nosso conteúdo do blog sobre Logística 4.0!

COMUNICADO

Estamos com problemas na linha telefônica da filial de Porto Alegre.

Contato através do numero (51) 99790-1513.


Agradecemos a compreensão.