Saiba o que é o Stock Keeping Unit e como ele pode contribuir para seu estoque!

23/12/2019 Imagem destaque

A gestão do estoque e armazenamento faz parte do processo logístico e é de grande importância para o sucesso das empresas!

O Stock Keeping Unit, conhecido como SKU, é um conceito muito utilizado para otimizar a organização dos estoques de diversos ramos e segmentos de negócios. O uso do SKU permite uma identificação rápida e simples dos itens armazenados, garantindo eficiência e eficácia ao processo de estocagem.

Sabemos que a tarefa de controlar as entradas e saídas do estoque pode ser desafiadora, especialmente quando o volume e o mix de produtos é grande.

Para te ajudar com esta questão, iremos falar neste conteúdo sobre qual é o conceito do Stock Keeping Unit, como utilizar os códigos SKU e ainda, qual sua relevância e vantagens para as empresas. Continue a leitura e saiba mais!

O conceito Stock Keeping Unit – SKU

O termo Stock Keeping Unit, originalmente em inglês, pode ser traduzido como Unidade de Manutenção de Estoque e diz respeito ao controle e organização integral do estoque nas empresas.

O SKU é definido como um código, formado por letras e números, que serve para identificar um determinado artigo. O SKU é único para cada modelo de produto! Ou seja, é como se fosse uma identidade, semelhante ao nosso RG.

Através dele, é possível separar de maneira prática cada produto disponível no estoque com base na quantidade, características principais e variações.

A composição do código SKU pode ser definida por cada empresa e varia de uma para outra. Contudo, segue o mesmo princípio para todas, contando com informações que descrevem o produto: marca, tamanho, cor, garantia, entre outros aspectos.

Por exemplo, uma confecção de roupa que fabrica camisas deve gerar um SKU diferente para cada peça de acordo com o modelo, tamanho, cor ou qualquer outro elemento que faça com que aquela peça seja única. Sendo assim, o código de Stock Keeping Unit é uma referência específica e absoluta de um produto.

O SKU simplifica tarefas operacionais e pode ser empregado em qualquer tipo de operação logística que necessite de controle de estoque. Ele possibilita buscas precisas por um item e através dele é possível saber se o mesmo foi vendido, entregue, por exemplo, ou a quantidade que resta de um modelo, facilitando a manutenção do estoque.

Composição do código SKU

O código SKU precisa incluir elementos que diferenciam os produtos entre si e sejam lógicos. Elementos que podem fazer parte da combinação do código são: fabricante ou marca, material, tamanho ou dimensões, cor, coleção, embalagem, garantia, etc.

Como dito anteriormente, cada instituição pode escolher como formar e sequenciar as informações de seus SKUs. O principal é que o código faça sentido para a equipe e a realidade do negócio, pois precisa se tornar intuitivo e fácil de decifrar. Vamos aos exemplos!

Queremos identificar camisas confeccionadas pela empresa fictícia que citamos acima. As características utilizadas neste caso são coleção, material, tamanho e cor.

O código SKU é INV-ALG-06-BR. Ou seja:

Coleção: Inverno (INV)
Material: Algodão (ALG)
Tamanho: 06
Cor: Branca (BR)

Código SKU: PRI-LIN-04-PR

Coleção: Primavera (PRI)
Material: Linho (LIN)
Tamanho: 04
Cor: Preta (PR)

Agora um exemplo para uma loja que vende eletrodomésticos:

Produto: Batedeira
Marca: Domestic
Linha: Turbo Max
Voltagem: 220v
Cor: Vermelha

O código SKU pode ser: BAT-DOM-TURB-220-VER

Para uma loja de calçados:

Marca: PéLindo
Modelo: Sandália
Material: Couro
Número: 36
Cor: Amarela

Opção de código SKU: PEL-SAN-CO-36-AMA

A lógica é simples de entender, não é mesmo?

Nos exemplos acima, os produtos que tiverem esses códigos devem se encaixar exatamente na descrição citada. Um produto de tamanho ou cor diferente, por exemplo, terá um novo código SKU. Atribuir o mesmo SKU para produtos que possuem diferenças é um erro básico que pode gerar grandes problemas para o estoque!

Uma batedeira de voltagem 110 deve possuir um SKU diferente da batedeira de voltagem 220. Da mesma forma, um calçado número 40 deve ter um código diferente do 38, bem como uma camiseta azul deve ter outro SKU se comparado a verde.

Vantagens do SKU para a logística

O Stock Keeping Unit aprimora a gestão e a manutenção dos estoques com a simples adoção de um padrão de formatação de códigos. Essa prática faz toda a diferença para as etapas de logística, contribuindo para o negócio atingir alta performance e reduzir o índice de falhas e atrasos.

O código SKU também facilita a comunicação entre as equipes, principalmente em empresas que trabalham com centenas ou milhares de itens e movimentam um volume gigante de dados.

Veja abaixo os principais benefícios da utilização do SKU:

– Facilita a organização dos artigos armazenados

– Localiza os produtos de forma rápida e fácil

– Dispensam o uso de leitores eletrônicos, já que podem ser interpretados através da lógica

– Melhora a organização interna do varejo

– Reduz as falhas no envio de peças e na contagem do estoque

– Permite um padrão interno para cada empresa e também a extensão do código, caso a empresa expanda o negócio e passe a trabalhar com mais modelos ou tipos de produtos.

Código SKU e Código de Barras são a mesma coisa?

Embora algumas pessoas confundam esses dois tipos de código, por se tratarem de uma combinação alfanumérica, é importante ressaltar as diferenças entre eles. Enquanto o SKU pode ser facilmente lido e interpretado por uma pessoa, o código de barras necessita de um equipamento eletrônico para sua leitura.

Cada SKU é único para uma companhia, porque é criado internamente, ao tempo que o código de barras é compartilhados entre diversas empresas. Os SKUs podem ser estendidos, o que significa que havendo mudanças nas características de um produto, eles podem crescer ou sofrer adaptações.

Dicas para um uso eficiente

Algumas dicas são válidas para que se use o Stock Keeping Unit de forma eficiente. Veja a seguir:

– Evite a inserção de muitos dados no mesmo código. O excesso de informações pode causar dificuldades para quem lida com o estoque, use o básico para caracterização do produto e as informações adicionais deixe para a descrição do produto.

– Siga uma lógica para a criação do SKU. Não invente nomenclaturas ou siglas próprias, utilize as iniciais de marcas, produtos e modelos para que a interpretação faça sentido.

– Não repita o mesmo SKU para produtos com variações. Lembre-se que o código deve ser distinto quando alguma característica do item se altera.

Se você ficou com alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato conosco! E já que estamos falando de estoque e logística, se desejar, clique abaixo e faça o download gratuito do infográfico que elaboramos sobre como otimizar o prazo da entrega sem aumentar os custos logísticos!

Infográfico Como otimizar o prazo de entrega sem aumentar o custo da logística

COMUNICADO

Estamos com problemas em nossa linha de atendimento na filial de Porto Alegre – RS.

Entrem em contato através dos números:
(47) 99950-0691
(47) 99950-0752


Agradecemos a compreensão.